11 abril 2015

A nova cara do blog


Postado por Nat

Não, eu não abandonei o blog. Sim, eu ainda lembro dele todos os dias e pretendo continuar. E nem vou ficar aqui me explicando porque já tô cansada disso. Eu sou bem assim mesmo: sem regras e sem organização nenhuma. Gosto de ter blog pra vir escrever quando eu quiser, e escrever mesmo, mais do que ficar mostrando isso ou aquilo. Entende? Fico tentando me enganar mas não consigo levar adiante. Assim que, me aceitem? rsrsrsr Toda errada assim, mas apaixonada pelo meu cantinho e por vir aqui soltar uns blocos de textos vez ou outra.

Pra me animar mandei ver numa nova cara pra ele! Amava a outra versão, mas queria refrescar por aqui, entendem?

A ilustração linda do topo e da assinatura dos posts, foram feitas pela Mari! E eu fiquei completamente apaixonada! Todo amor que houver nessa vida para o carinho que ela teve em criar cada imagem de teste e me deixou louca pra escolher! =D Mari, querida, Obrigada!!!

O layout e a programação ficou por conta da Suzi, do Cor Seletiva! Paciente, prestativa e entendeu tudo o que eu queria: algo simples, fofo e maravilhosos! hahah Suzi, minha linda, obrigada uma vez mais pela paciência e pelo trabalho! 

E aí, gostaram??? 


18 março 2015

Favoritos da semana #9


Postado por Nat

1. Análise do aplicativo GuiaBolso, no Morando Sozinha. 2. Lindas fontes para sua próxima tattoo, no Good News 3. 4 cursos onlines de fotografia no E aí beleza!  4. 7 dicas para blogueiros iniciantes, no Mulher Vitrola.

17 março 2015

Você sabe dizer não?


Postado por Nat


Acho que é natural da maioria dos seres humanos não saber negar algo, principalmente para pessoas próximas. Dizer não está longe de ser uma tarefa fácil, embora extremamente necessária pra um vida sem tantas frustrações. E não me refiro a ser ruim ou maldosa. Me refiro a ser coerente e realista com nossas próprias limitações.

Dizemos sim quando nos pedem algo que está fora do nosso alcance a todo momento. Seja pra não magoar fulano, pra não irritar cicrano, pra não dar a chance de beltrano sair por aí falando da gente. Muitas vezes dizemos sim querer, ainda que sem poder, agradar a alguém. E esquecemos de nos incluir na equação. Deixamos de fazer algo importante pra nós mesmos, só pra atender aquela necessidade boba que o outro nos pediu. E isso vai de um simples favor a uma aposta de vida ou morte.

Dizer não é virtude de pessoas boas. É saber se respeitar sem desmerecer o próximo. É conhecer nossos limites e até onde podemos ir com o tão desejado sim. As pessoas, em sua maioria vão entender, vão exigir menos, vão te ajudar mais. Não é dizer não pra tudo, mas é dizer não para aquilo que realmente não está ao nosso alcance. Sim, se podemos fazer, se não vai nos atrapalhar, se é algo que vem realmente do fundo do coração e não vai machucar ninguém - muito menos você - o SIM é super bem vindo. Mas entenda, se você não pode, não quer, não deve, não consegue, não tenha medo em dizer: Desculpe, mas eu não posso. Não agora. Posso te ajudar de outra maneira?

14 março 2015

7 coisas pra fazer quando você não tiver nada pra fazer


Postado por Nat

A gente sabe que a vida anda cada vez mais corrida e o tempo cada vez mais veloz. Mas, por mais coisas que a gente tenha pra fazer, e por menos tempo que a gente tenha pra elas, tem sempre aqueles momentos de ócio total - que seja de procrastinação ou relax - onde a gente se pega a pensar: e agora, o quê eu faço?


1. Simplesmente, não fazer nada.
Umas das melhores coisas, pra mim, ao menos no momento da ação, é ficar deitada na cama ou no sofá, de pernas pro ar, comendo pipoca e chocolate e vendo a vida passar. Eu sei, a maior perda de tempo, mas ó...tem horas que a vida pede, viu? (Mesmo que a gente se culpe depois!)

2. Colocar a leitura ou as séries em dia.
Pra quem anda com a estante de livros em atraso é um bom momento pra pegar aquele romance e devorá-lo em uma tarde! ;)  E aquela série abandonada que você nunca mais teve tempo de assistir? Vamos lá, esse é o momento!

3. Dormir, dormir, dormir. 
Quem não ama dormir? Ta aí um bom momento recuperar as horas de sonos perdidas.

4. Invente um Hobby
Que tal pegar aquele projetinho DIY e colocar em prática? Ou aprender uma nova habilidade? A internet oferece um milhão de possibilidades, de cursos gratuitos, PAPs infinitos e por aí vai!
Eu ando me aventurando na costura! ha ha ha Sim! Fiz um kit iniciante do feltro e já até abri uma portinha pra vender meus mimos ainda meio desengonçados.


5. Socialize com a vizinhança, conheça sua cidade.
Se você mora em cidade grande, tem sempre um monte de coisas pra fazer. Se mora em cidade pequena, desperdice uma tarde de fofoca na esquina com a vizinha que você não vê há dias. Olhe, é o que eu mais faço. #fofoqueiramodeon

6. Arrume a bagunça!
Por mais que a ideia seja não fazer nada, tem sempre aquela baguncinha que a gente deixa pra depois. E pode ser bem divertido dar uma geral no quarto, se desapegar daquela montanha de papeis inúteis ou mesmo mudar a decoração daquela parede antiga. Inspire-se!

7. Organize-se!
De meias, chocolate-quente ao lado e o fim de tarde caindo, aproveite esse tempinho pra organizar sua rotina, dar hora e lugar para as tarefas e assim, ter a oportunidade de desfrutar mais momentos como esse, sem nada pra fazer!


08 março 2015

Favoritos da semana #8


Postado por Nat


Retornando à programação normal, agora sim, valendo de verdade, vamos aos favoritos dessa semana?


1. Dica de um livro bem legal pra ajudar na organização, no Borboletas na Carteira 2. Cuidados com os cabelos são sempre bem vindos. O Frescurinha traz essa umectação com azeite bem simples e eficiente 3. Que tal mochilar pela América do Sul? A Chata de Galocha foi e começou falando da Colômbia 4. Vai viajar? Saiba o que comprar com o Morando Sozinha.

06 março 2015

Mochilas: onde comprar?


Postado por Nat

Todo mundo tá cansado de ver que as mochilas voltaram com tudo, e não é de volta às aulas que estou falando. Mochilas nos mais variados estilos, cores, modelos e estampas ganharam o gosto da galera seja pra no dia-a-dia, pra viajar ou mesmo os modelos mini para sair à noite.

Antes de viajar eu estava doida por um, dessas estilo étnico, pra rodar o dia inteiro, com tudo dentro. Acho mais prático e menos incômodo que bolsas de colo, de lado, enfim... Acabei deixando pra última hora e fui com uma simplesinha que mainha comprou pra mim. Mas não desisti e já estou procurando outras por aí pra chamar de minha!

Dá uma olhadinha nessas lindas que encontrei. E nos sites tem outros modelos maravilhosos com uma variedade enorme de estampas!





































1. Mochila Étnica Stripe, Armazém Pink. 
2. Mochila Étnica Beverly Pink, Armazém Pink.
3. Mochila Étnica Buble Bic, Armazém Pink.
4. Mochila Flores e Poas, Imaginarium.
5. Mochila Flores, Pintanga.


Espero que tenham gostado das dicas! ♥

27 fevereiro 2015

Viajando Sozinha: Por que ir?


Postado por Nat


Pra terminar essa série, eu queria primeiro ter a experiência de viajar sozinha e então contar aqui porque eu acho que você também deve, uma vez ou outra, se desligar do mundo e se encontrar.



Não, viajar sozinha não é ruim. Pelo contrário, pode ser maravilhoso se você souber aproveitar desse tempo só seu em um lugar desconhecido, em meio a pessoas desconhecidas, vivendo uma vida desconhecida. E acredite, você não é a única. Muitos, a sua volta, estão na mesma que você, então...sorria, e tranquilize-se, vai dar tudo certo.

Durante esses 4 dias em que passei sozinha no Uruguai, eu aprendi algumas coisas e resgatei alguns sentimentos dentro de mim, sabe? Aprendi que eu me garanto. Meio entre trancos e barrancos, frases tímidas e passos incertos, eu me viro bem. Soube me achar quando me perdi entre ruas de um centro antigo. Soube chegar do outro lado da cidade e voltar pra casa sem problema nenhum. Soube me virar pra comer o que eu gosto sem cair na tentação de provar pratos que não me enchiam os olhos. Soube bater altos papos com viajantes solitários, assim, como eu. Soube engolir a vergonha e pedir pra alguém tirar as minhas fotos, afinal, eu também quero recordações e odeio selfies. Aprendi a confiar em mim. E de quebra levei às pessoas a também acreditarem. Aprendi  que eu posso ir aonde eu quiser mesmo que ninguém acredite que eu vá. E isso alimenta a alma, sabia?

Eu me senti mais forte durante esses dias. Eu cresci. Estar longe de onde você tem tudo nas mãos, da sua zona de conforto, te amadurece, de um jeito ou de outro. Te dá uma independência que talvez você nem imagine. Ah, eu me senti sozinha sim. Mas passou rápido. Nada que uma música, ou um pulo na praça da esquina onde em uma roda de curiosos, casais dançavam um tango leve num fim de tarde qualquer. Eu sorri bastante. Sozinha mesmo, de boba. Ou acompanhando o riso de alguma criança com a sua mãe. E eu já tinha esquecido como é bom sorrir sem motivo, assim, involuntariamente.

E aí eu te diria: Por que ir? Porque você não tem nada a perder. Só a ganhar, acredite! Não vá esperando aquelas estripulias que uma viagem com a galera tem, pois por mais que você faça um ou dois amigos, não vai ser assim. Mas vá preparado para estar mais próximo de você e aprender a se conhecer um pouco mais. 

É uma experiência incrível, eu garanto!

---

Quer acompanhar todos os posts da série Viajando Sozinha?

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...